17.6.10

Porque é que eu gosto da Amanda Blank para além do facto de ela se chamar Amanda-A-Sem-Expressão.


Não é um amor assim tão grande, mas as razões são bastante fortes.

Porque eu Gostava Mais de Ti Se Nós Fossemos Para a Cama Juntos, especialmente porque a voz fica distorcida para um super grave-sujo de vez em quando; e, na versão do remix do Rusko aparece um arranhado afiado muito agressivo e fofo de vez em quando.

Might Like You Better


Porque ela precisa muito de Amor, samplado MARAVILHOSAMENTE e repito, MARAVILHOSAMENTE, da Lady Santigold, com direito a Harpas e tudo.

A Love Song


Porque ela fez um cover de Vanity 6 (escrita originalmente pelo Prince), na música mais puta-deliciosa das meninas que dizem para eles irem fumar porque elas ainda vão demorar tempo a arranjar-se. E eu toda a vida esperei por um cover desta canção-tão-linda

Make-Up


Porque ela tem vergonha e ele "é tão grande", com as devidas paragens (You're-so-big-one-step-ahead.)
E porque as sirenes-qualquer-coisa-que-batem-na-parede desta música deixam-me alegremente melancólico. [Eu também tenho vergonha, Amanda. Shame on Me / Shame on me / I (too) believed it was So easy.]

Shame On Me


E que portanto, ela o vai deixar para trás, já que "using my legs, since my head ain't right / I'm leaving you behind". A música não é nada do outro mundo, mas esta frase deixa-me tão satisfeito.

Leaving You Behind


E porque, finalmente, no video da Might Like You Better ela está no meio de balões prateados e com maquilhagem preta. E eu também gostava de estar num vídeo assim. : c

My devaneio pop Is Killing Me



Robyn - Don't Fucking Tell Me What To Do

6.6.10

Por mais que se tente, às vezes o difícil é parar de dançar.

E porque um círculo só é círculo quando volta ao ponto inicial, aqui vou terminar o never-ending-rambling sobre os Moderat.

1.
Eles são qualquer coisa de extraordinário.

2.
Eles, ao vivo, são qualquer coisa de muitíssimo extraordinário.

3.
É bonito que hajam coisas assim, que nos façam dar pulos e gritar mesmo quando as luzes não nos deixam ver onde aterramos e o volume das colunas anule qualquer tentativa de som das nossas, incansáveis e irritantes, cordas vocais.

É bonito que os sentimentos sejam oh-tão-complicados de se descrever e, no entanto, sempre tão fáceis de sentir nas notas destes 3, muy poderosos, artistas.

É bonito que haja quem consiga viver da arte e andar pelo mundo a fazê-lo abanar a cabeça e as ancas e os pulsos e os cotovelos e os pés e as outras partes todas, cada uma no seu ritmo desconjuntado e suado.

É bonito, sim senhor. É bonito. Que nos façam ver que o mundo é bonito. E antes do fim, resta só um "aaaaww" em conjunto. Vamos?

Ide e ouvi esta música, crianças amigas de mim. Ouvi! E vivei uma vida plena e muito feliz. (o tal som é agora) *

Moderat "Les Grandes Marches" from Pfadfinderei on Vimeo.

Old Weapons

And if you can't dance to this you can't do nothing for me baby.

3