Dance / Like you / Don't care

13.9.11

Electronic Lisbon

In case you're in Lisbon in next weeks and fancy some beats and glitchs there's a lot going on.


Howe Gelb  (not electronic, low-fi-soul-rock)
at Centro Olga Cadaval 21 Oct (20-24€),

Nosaj Thing (awesome!, post-dub)
at Music Box 15th (9€),

Minilogue (minimal electro, Sonic Fresh Event)
at Lux 17 Sep (15€),

Le Castle Vania (indiedub)
at Loading 17th (10€),

BOYS NOIZE RECORDS: Les Petit Pilous + Housemeister + Gunrose (dubstep)
at Lux 22 September,

Designer Drugs (noisy, nice)
at TBA 24th,

Oliver Huntemann (minimal techno)
at OpArt 24th (15€),

Dezperados with Peaches (crazy people are crazy, you know, we like that.)
at Lux 29th Sep.

Koreless (post-dub, good)
at MusicBox 30 Sep (10€),

Jacques Greene (worth it, new)
at MusicBox 20 Oct (Free),

Junior Boys & Sun Airway (always nice to hear this people, smooth electronic)
at MusicBox 22 Oct (12€),

Tom Vek (idm?, interesting, sexy)
at Music Box 28th Oct (12€).

Links for more info. 

Don't you love Lisbon? See you around.

10.4.11

Colombo num Jarro.

Olá mundo. Estamos aqui no meio da música e do amor e do pulsares vibratórios das colunas e dos headphones e é importante referir que está sol, e que a melhor coisa que se faz ao sol é dançar. Dançar.

Não liguem ao single novo dos Justice, nem ao album novo dos MSTRKRFT. Não prestam.

A única coisa que interessa este mês é Nicolas Jaar e dançar ao sol. Tenham um bom dia.

21.3.11

Mundos e macacos e oceanos.

Só existem 2 tipos de pessoas no mundo.

as que dividem as pessoas em 2 tipos de pessoas e as que percebem que esta é a melhor música electrónica alguma vez criada.

26.2.11

com orgulho e presunção (sempre) obviamente aleatórias.





Porque esta pessoa às vezes gosta de fechar os olhos e imaginar que a música dos phones está a tocar muito alto no ar para poder imaginar quantas pessoas começariam a gritar e a fugir aterrorizadas e quantas começariam a dançar.


Outras vezes gosta de fingir que é DJ. http://blip.fm/amateurgod

6.12.10

you dance / like you / don't care

Se alguma vez mudar o nome deste Blog será porcausa desta canção.



you caught
my eye
but I
did shy
your hand
across
my tight


30.11.10

3 minutos e 35 segundos para uma vida mudar. Rá

É assim uma espécie de sensação que te obriga a entornares a cabeça para fora. Fechas os olhos e, de repente, aquela coisa doce - um elástico estranho e espacial esticado meio côr-de-rosa - faz sentido como nunca antes podia ter feito.

E tu, de repente, também.



É Ratatat.


E dia 10 Dezembro, na Casa da Música, vão fazer-me desejar que não estivesse a viver na Alemanha.

22.11.10

Please let me go. Quem voa não são só os passarinhos.

[é segredo mas acredito profundamente que esta música é a melhor descrição alguma vez feita dessa coisa suja e nojenta e feia chamada Amor. É uma ideia que me segue já há alguns anos e sempre pensei que fosse passando, mas não. A música está certa. Acredito mesmo que só me vou deixar apaixonar a sério-seriozinho no dia em que encontrar alguém que goste tanto tanto desta música quanto eu. é segredo.]



I have but one true friend
She sings to me
In my solitude
And i know her name
I tried to know her
In all her changes
And I don't know her place
And I dont see her face

When we come together then we forget ourselves
And just as night follows day
The beginning must become the end
And so we will start again

When we come together then we heat up the souls
And then we bake up the pie
And we lay old bones to rest
As birds we dream of the sky

9.11.10

Porque no fundo é verdade e não faz assim tão mal.



It was then he heard his intuition say
We were all basically alone

And despite what all his studies had shown
That what's mistaken for closeness is just a case of mitosis
And why do some show no mercy while others are painfully shy?

22.9.10

Estar em coma, dizer a verdade e nuvens. In the Sky.

Isto é para se ouvir baixinho, baixinho, baixinho. Tapado debaixo de qualquer coisa forte. Um corpo, um edredão, uma noite. Por aí. Assim ao de leve, como quem não quer a coisa.

First Breath After Coma by Explosions in the Sky


Esta é a minha banda preferida de prog-rock. Ora que bem, não é?, um rótulo. Acho que esta também é a minha banda preferida no nome de albums. É infinitamente espectacular; senão vejamos:

  1. How Strange, Innocence (2000)
  2. Those Who Tell the Truth Shall Die, Those Who Tell the Truth Shall Live Forever (2001)
  3. The Earth Is Not a Cold Dead Place (2003)
  4. The Rescue (2005)
  5. All of a Sudden I Miss Everyone (2007)

O "Those Who Tell The Truth..." é, sem sombra de dúvidas, o meu nome preferido de álbum de sempre. Dá para pegar e fazer tanta coisa, não é? Se alguma vez fundar uma religião, a reza mestra será alguma coisa nestas linhas. É também bonito pensar no nome da banda e em nuvens. São coisas boas. Boas.

Isto de se ser adolescente é uma parvoeira. Mas o importante aqui é a música. Ouvi.

19.9.10

Don't say no to me / You can't say no to me

Às vezes não há culpa que suporte a necessidade de se pedir desculpa.

An echo, a stain - Bjork

E perceber sobre o que é a música?; Isso sim é um desafio.
No songmeanings há quem fale de um encontro com a morte ou de uma violação, mas ao que parece a letra foi tirada aos bocadinhos de uma peça chamada Crave, da Sarah Kane e não dá para, felizmente, retirar um grande significado absoluto.

Na minha cabeça não há nada mais obviamente sexual do que um eco e uma nódoa. Mas eu sou uma pessoa fácil.

Old Weapons

And if you can't dance to this you can't do nothing for me baby.

3